Festa de aniversário: Piquenique da Chapeuzinho Vermelho

Quem me acompanha há algum tempo, sabe que eu gosto de festas de aniversário feitas em casa, com tudo simples e divertido para as crianças, aqui tem uma festa de pirata e aqui, uma de Balão de Arco-íris. Também sabe que sou um pouco exagerada ou controladora demais e gosto de preparar cada detalhe da festa.

Esse ano, resolvi fazer algo diferente no aniversário de 2 anos de minha pequena: um piquenique! Primeiro, porque fui uma vez a um parque e fiquei encantada com um pessoal fazendo uma festa por lá; segundo, porque estávamos de mudança e na semana seguinte, viajaríamos, então, quanto mais simples e mais prático, melhor.

Sinceramente? Foi a melhor festa que já fiz… foi muito, muito legal! Dá trabalho? Dá, principalmente para deslocar todas as coisas até o lugar do piquenique. Você não tem a vantagem do buffet ou dos garçons para servir as pessoas. Mas, sinceramente, é tão mais livre, mais informal, menos consumista, muito mais barata e bem mais alegre… as crianças brincando, correndo, todos comendo à vontade em cima daquela toalha xadrez… Foi a festa em que eu mais relaxei e pude curtir com os pequenos – porque, em todas as outras, eu ficava preocupada em servir as pessoas, em ver se havia suco na jarra, cerveja gelada, comida nos pratos, sem conseguir sentar.

Infelizmente, a maioria do pessoal da sala da minha pequena não foi. Como também era a festa de despedida da nossa família, pudemos contar com amigos muito especiais (mas sobrou muita, mas muita comida, porque vários tinham garantido que iam).

Escolhemos um parque em que a área para piquenique ficava ao lado do parquinho – o que facilitou muito, assim não precisávamos ficar nos deslocando no parque para ver os pequenos brincando. Marcamos para as 10 horas da manhã, um horário que, eu sei, pode ser difícil para as crianças dessa idade, mas que imaginei poder ser um “brunch”, mais cedo seria cruel, mais tarde não teríamos muito tempo, porque o parque fecha às 17h.

Outra coisa que gostei é que não teve bebida alcoólica, pois seu consumo é proibido nesse parque. Tudo bem, todas as nossas festas anteriores tinham (a meu contragosto), mas é que acho que festa de criança é para elas e não para os adultos. A cerveja, além de encarecer muito, parece fazer com que os adultos se divirtam em função da bebida e não da festa – ou das crianças – em si. Sei lá…

Tá bom. Chega de blá, blá, blá e vamos às fotchinhas…

Convites

Fiz os convitinhos com papel de scrap. Passei dias bolando, tendo ideias, montei todos. Terminei. Olhei e perguntei: “Gentemmm, cadê a Chapeuzinho?”. Ela foi pra dentro do convite, oras! Surpresa! 😉

Meu filho ajudou a fazer os convites da sala dele: recortou menininhas, colou as florzinhas, colou adesivos… e as crianças adoraram a ideia (do Cauê) da cesta abrir e ter um docinho dentro!

Os convitinhos

Bolo

Não existe “mesa do bolo” em um piquenique, né?, mas improvisei algo do tipo em uma das mesinhas do lugar. Para o bolo, usei a receita do ano passado de chocolate – que não tem como errar – e cobri com a pasta americana. Mas preciso confessar algo: não sei trabalhar com pasta americana. Esta, foi minha segunda erro tentativa. Meu plano era trançar o branco com verde para imitar uma toalha de piquenique. A realidade: quando terminei de fazer a bela toalha e fui colocá-la em cima do bolo, tudo se desmanchou e ficou horrível. Fiquei irritada, amassei tudo junto e transformei na grama do piquenique. Ó, senhor, como esconder esse bolo horroroso? Ah, Sofia, (disse eu para eu mesma) pega aquela sobra de tecido xadrez, faz um mini-bolo e coloca a boneca da Chapeuzinho em cima! Voilà!

 

Decoração do bolo e da mesa do bolo

Chapeuzinho Vermelho

Como a Catarina a-ma a Chapeuzinho Vermelho – e foi por isso que escolhemos esse tema – pensei que ela gostaria de uma fantasia. Costurei uma capa e uma saia especialmente para ela. Ficaram lindas, modéstia à parte; mas, como filho é um ser que serve para contrariar a mãe, ela não pôs a capa e ficou pouco tempo com a saia…

 

Roupinha da Chapeuzinho.

Cestinhas

Para entregar para as crianças, quis fazer uma cestinha que misturasse a ideia do piquenique com a Chapeuzinho, então, fiz uma cesta cheia de doces da vovozinha, com pé-de-moleque, bananinha, paçoca e coisas assim. Amei fazer as cestas!!! Foi o meu Peter Pan que as distribuiu na festa (vocês viram que esse piquenique estava cheio de personagens, né?).

 

Meu Peter Pan entregando as cestinhas que a Chapeuzinho levou para a vovózinha…

 

Lembrancinhas

Eu tentei fazer pequenos rostinho de chapeuzinho para entregar de lembrancinha, mas não deu tempo de eu terminar tudo, já que, como contei, eu estava preparando a mudança também!!!

 

As lembrancinhas que não foram… 😦

 

Mais cenas do piquenique!

Todo o ambiente do piquenique.

As brincadeiras

O momento do parabéns!

 

Espero que tenham gostado da festa tanto quanto nós!!! Se precisarem de qualquer dica ou ajuda, me escrevam.

Festa feita em casa – Piratas

Quando meu filho mais velho me viu preparando todas as coisas para a festa de arco-íris da irmã, aqui, ele ficou doido. Me perguntou várias vezes se eu faria o mesmo para o aniversário dele. Um dia, ele recebeu um convitinho para uma festa de um amigo da escola que tinha um mapa de como chegar. Pronto! Ele queria que o convite dele também tivesse um mapa. Daí, surgiu a ideia de fazermos uma festa de piratas. Mas o orçamento tá curto, a vida não está lá muito barata… Resolvi, então, que eu faria uma festa com tudo o que eu tivesse em casa, compraria o menor número de coisas possíveis e faria da decoração ao bolo…

Preciso dizer algumas coisas, antes de mostrar tudo o que fiz. Primeiro, como disse minha irmã, sou praticamente um armarinho, de tantas coisas que comprei ao longo dos últimos anos. Tenho muitas coisas guardadas – seja de festas, seja de artesanato ou papelaria. Segundo, sou megalomaníaca. Não sei fazer duas coisas e dizer “tá ótimo”… vou tendo ideias e querendo colocá-las em prática… Outro ponto é que preciso pôr na ponta do lápis para saber se realmente saiu mais barato do que alugar um salão com uma festa pronta – vou ser honesta com os gastos que tive e, talvez, vocês possam me dar um feedback sobre quanto se gasta por aí em festas.

Para a festa, convidamos 15 adultos, sendo que 4 tem filhos na mesma idade que o meu, e os 14 amiguinhos da escola. Como ele está fazendo 5 anos, também vêm os pais. Então, calculamos uma festa para 40 adultos e 20 crianças.

Decidi servir pipoca, cachorro-quente e tortinha de liquidificador em forminhas de cupcake. Para os doces, beijinhos, brigadeiros, pirulitos, guloseimas (aquelas bem porcarias que não deveríamos nem sonhar), cupcakes e bolo. Acabamos por servir também torradinhas com patês e espetinhos de queijo com tomatinho cereja.

Para decorar, procurei em vários sites inspiração. Achei várias coisas, mas, por incrível que pareça, esta não é uma festa muito popular. Encontrei várias coisinhas lindas para imprimir e muitas ideias legais. Separei-as todas aqui, no Pinterest.

Meu plano era que a festa fosse divertida para as crianças, então, tinha que ter muita brincadeira. Planejei um caça aos tesouros e caracterizei as crianças como piratas. Então, também fiz lencinhos, ganchos, espadas, tapa-olhos, bauzinhos, caveirinhas de feltro, caveirinhas de giz…

Não sei exatamente como organizar este post, porque gostaria de mostrar não só o que fiz, mas como fiz… Vamos lá… o post ficará gigantesco…

Convite – mapa do tesouro

Para fazer o convite, procurei uma imagem de mapa que eu gostasse, mas que também estivesse em um formato que não fosse Adobe, porque eu queria editá-lo com as informações da festa. Tirei daqui o mapa. Daí, imprimi em folha A4 comum, em impressora a laser. Depois, colori com lápis de cor comum. Daí, começou o processo de envelhecer o papel!

Para envelhecer o papel, você vai precisar de café passado morno e café em pó. Passe o papel no café morno, deixe-o por uns 20 segundos, mas tome cuidado na hora de virá-lo, porque ele rasga bem facilmente. Depois, jogue um pouco do café em pó, se quiser deixar manchas na folha. Estenda-o em um varal, ou em qualquer lugar que ventile, e está pronto. Aprendi a fazer o processo neste blog aqui.

Mapa/Convite do Tesouro

Bauzinhos

Para fazer os bauzinhos, depois de tentar vários moldes, encontrei este aqui, do blog Grande Amor de Deus, onde há outros moldes. Como eu queria que coubessem várias coisinhas grandes, precisei aumentar o desenho (e tive que fazê-lo à mão, mesmo). Eu tinha várias folhas coloridas de papel canson, por isso, cada baú saiu de uma cor (lembra que meu objetivo era comprar a menor quantidade de coisas possíveis?). Para decorar, usei cola colorida. O primeiro (azul) ficou muito cheio de borogodó. Desisti e passei a fazer desenhos mais simples.

Dentro de cada bauzinho, havia: massinhas de modelar (que eu comprei pronta), moedas de chocolate, dadinhos de caramelo, uma caveirinha de feltro (que eu fiz) e uma caveirinha de giz de cera (que eu fiz também).

Bauzinhos

Caveirinhas de feltro

Sempre que eu vou fazer essas coisinhas, lembrancinhas, procuro vários modelos, separo e produzo os que mais gostei e, depois, escolho o que vou fazer em quantidade grande. Escolhi o modelo que encontrei no Flickr, aqui, porque amei as caveiras coloridas. Para tirar o molde, ampliei a imagem na tela e desenhei-a em um papel mais transparente.

A foto maior é das caveirinhas que escolhi. Na sequência, da esquerda para a direita: a que escolhi e as outras duas que também tinha gostado.

Caveirinhas de giz de cera

Quem não conhece o blog da Estéfi Machado precisa ir lá agora, porque é lindo, porque ela é super criativa, porque tudo o que ela faz fica demais. Quando vi as caveirinhas de giz de cera, enlouqueci e procurei insanamente pela forminhas para que eu pudesse fazer para a festa. O post que ela explica como fazer é este aqui.

Mas preciso fazer algumas considerações: como queria fazer ao menos uma caveirinha e um ossinho para cada criança, fiz o processo várias vezes… o que aconteceu é que, depois de algumas vezes, os ossinhos passaram a sair todos quebrados e, aos poucos, a forma foi estragando… e estragou tanto que precisei jogá-la fora (buáááá). Então, talvez funcione para que a gente faça apenas uma vez (assim, você não precisará jogar a forma fora, como eu). Ainda assim, essa ideia de reciclar o giz é tão genial, porque dá para fazer com outras formas, ir longe com a imaginação. Pelo que eu pesquisei forminhas de alumínio podem ir direto ao forno e funcionam também!

Caveirinhas de giz de cera

Saquinho de papel com Kit pirata

Como a minha proposta era que as crianças brincassem de pirata, nada melhor do que cada uma ter seus próprios acessórios, não é? Então, aproveitei que tenho um rolo de papel craft e fiz saquinhos, inspirada aqui no Alguma Bossa, para pôr dentro os itens, que eram: gancho, tapa-olho e lenço – todos feitos aqui em casa.

Para fazer o saquinho, cortei o papel craft em um formato retangular e segui as instruções deste site aqui. Se vc entrou neste link, deve ter percebido que está em alguma língua absurda – eu também não falo este idioma, mas deu pra seguir as fotos tranquilamente, viu? Depois de prontos, imprimi figuras de pirata menino e de pirata menina, prendi com um clips pequenino – para que as crianças pudessem pintá-las mais tarde – e usei uma fita que tinha em casa.

O saquinho com o kit e o meu piratinha ao lado dos saquinhos

Gancho de Pirata

Para fazer o gancho, eu imprimi um molde que tirei daqui, o copiei para o papel paraná e o encapei com papel alumínio. O suporte foi feito com um copo plástico que pintei de preto (tinta + cola branca) e fita adesiva. Bem simples, mas as crianças adoraram!

Do lado esquerdo, crianças com os kits. Do direito, um photoshop mal feito e um gancho pronto!

Espadas

Para fazer as espadas, me inspirei neste site aqui. Eu fiz rolinhos com jornal, depois cortei tiras de papel alumínio e cobri os tubinhos. Prendi as pontas, pintei um papelão para fazer a base (esqueci de fotografar esta etapa) e pronto!, tínhamos espadas para todos!!!

Lunetas e centros de mesa

Para cada mesa, fiz um arranjo bem simples, mas que achei lindinho: um copo de plástico bem transparente, uma corda, uma concha e areia. Não ficou uma graça? Além disso, fiz lunetas que deixei nas mesas. Para as lunetas, segui as instruções daqui – nada complicado: rolos de papel (higiêncio, toalha, ou coisas do tipo), copo plástico e tinta.

Piralitos

Quando vi os rostinhos destes piratinhas, na hora pensei em uns pirulitos que eu tinha guardado. Como eram poucos, acabei precisando comprar mais. Ainda assim, tinha o problema de onde iria colocá-los. Vocês acreditam que há meses eu tenho pedaços de isopor guardados, com todo mundo me pedindo para jogá-los, e eu finalmente achei uma utilidade para eles? Vejam que fácil: eu apenas os encapei com uma cartolina preta, usando cola quente, e passei uma fita linda. O resultado ficou fofo, não foi?

Imprimíveis

Para decorar, procurei sites que disponibilizam itens de decoração para imprimir, chamados de free printables. Tirei daqui: Paging SupermomLovely Little SnippetsTwo Penny Blue Mom. Vejam se gostaram!

Outros itens da festa

Para não deixar ainda mais longo este post, vou resumir outros itens da festa aqui.

Para o caça ao tesouro, fiz um baú maior, onde pus os bauzinhos, feito de papelão e pintado toscamente mesmo. Apesar de grotesco, as crianças surtaram do mesmo jeito.

O Baú e o momento em que as crianças o encontraram!

Outra coisa que fiz de papelão foi uma prancha, mas ela acabou por passar invisível, coitada. Só foi vista quando mostrei aos pequenos como fazia.

A sensação mesmo foi o barco que meu marido desenhou em uma caixa de papelão. Eu cortei a figura, fiz um mastro e uma vela e o colocamos em cima do brinquedo do parque. As crianças a-do-ra-ram!!

Acima, meu pirata no barco. À esquerda, as crianças. No meio, mamãe pirata. À direita, a coitada da prancha abandonada…

O amor de toda festa – o bolo

Gente, eu sei que este post está longo, longuíssimo, mas eu precisava falar do bolo, aquele lindo. Eu tive várias ideias de bolo em formatos de baús, de barcos e tudo o que é jeito. Mas eu não teria tempo para fazê-lo… Quando vi este post do blog The Cookie Shop, da Paula Cinini, eu pirei: um bolo lindo, uma receita fácil e em português!!!

Amei o bolo. De verdade. Além de lindo, ficou delicioso!

Sabem, para terminar, esta foi uma festa que deu bastante trabalho. Muitos detalhes, muita ansiedade para saber se o pequeno iria se divertir, muitas coisas para fazer e para tentar dar certo. No fim, gastamos, no máximo, R$600,00, o que não achei tão absurdo, porque isso inclui o aluguel do salão, as comidas e tudo que fiz.

De verdade, foi a melhor festa que meu filho já teve. Apesar de sentirmos muita falta da nossa família e de nossos amigos, foi totalmente voltada para as crianças – eles brincaram muito, muito, muito. Não era uma festa de adultos com crianças, como foi nos anos anteriores, mas de crianças com seus pais, o que torna tudo mais divertido, mais leve, mais lindo. Me lembrou das festas da minha querida tia Kátia, que sempre caprichou muito e fazia tudo assim – simples, em casa, cheias de detalhes surpreendentes, e sempre, sempre, divertidas! (tô chorando, dá para acreditar?)

(só mais algumas fotos pra vcs verem que festa linda!)

Algumas dicas para preparar uma festa infantil

Se você decidiu – por qualquer motivo – que não ia fazer festa em buffet e, além disso, baixou a rainha do “quero fazer tudo”, como eu, este post é para você.

De alguns anos para cá, talvez porque agora eu esteja em casa e tenha me afeiçoado ao artesanato, decidi fazer a decoração e boa parte das festas daqui. Este ano, no aniversário de 1 ano de minha pequena, não foi diferente. Foi mais punk, pra falar a verdade. Vou colocar aqui uma série de dicas e vários links de sites que me ajudaram muito, além de direcionar a outros posts que explico como fiz algumas coisas mais específicas.

1 – Eu prefiro começar pelo tema. Escolher o tema pode envolver seu filho ou não. Como a minha é bebê, mamãe escolheu. Do meu mais velho, procuro direcioná-lo, pois não tenho muita preferência por temas comuns. Um ano, ele queria de um desenho animado e eu, aos poucos, fui direcionando para um que ele gostasse bastante e que nos desse muitas possibilidades. O ano passado, conseguimos chegar a um acordo de fazer uma festa de cores. Este ano, ele já me avisou que quer uma “festa do pijama”. Isso é muito pessoal, seja o tema comum ou não.

Gosto de escolher o tema antes de tudo para que eu já direcione todo o resto depois. Sabendo do tema, eu consigo pensar em que tipo de festa que quero fazer.

2 – Siga aquele passo-a-passo básico – número de convidados, quantidade de comida, e etc. Eu não segui nenhum protocolo, fui fazendo de cabeça, mas, para quem quiser, aqui está bem explicadinho.

3 – Faça um acolhido de muitas e muitas e muitas informações sobre o que você escolheu. Para isso, eu recomendo veemente o site Pinterest (aqui). Eu ia escrever um post somente sobre esse maravilhoso , mas a Tays Rocha escreveu o melhor e mais detalhado post para isso, explicando não só como é, mas como participar dessa rede maravilhosa – aqui.

Eu fiz um “Board” só para a festa, chamado “Rainbow Party” – http://pinterest.com/sofiashanti/rainbow-party/

4 – Procure informações em vários sites de festas infantis, em imagens do Google, no Pinterest. Inspire-se. Algumas vezes, coisas que não se relacionam à festa podem ser usadas. Aqui, um post meu com sugestões de sites para festas. A maioria está em inglês, mas o importante são as imagens!

5 – Vá além: use o Google Tradutor e descubra qual é a tradução para o seu tema em outras línguas, além do termo “festa de aniversário”, depois, volte à página de pesquisa e digite o conjunto da palavra mais “festa de aniversário” naquela língua e procure as imagens que aparecem. Lembre-se: tudo o que gostar, de um Pin-it, para você se lembrar depois lá no Pinterest.

6 – Organize-se. Então, você pesquisou, decidiu o que quer, o que será possível fazer e etc. Faça, antes de tudo, uma lista de tudo o que vai querer para festa: convite, comes e bebes, cada item da decoração, número de mesas para decorar etc. Depois, faça uma outra lista, a de afazeres, com calendário, marcando o que fará em qual dia (seja realista: algumas coisas demoram mais de um dia para ficarem prontas). Para isso, fiz três coisas: duas tabelas no excel – uma com o calendário, outra com a lista de afazeres –  e usei o site Toodledo, uma excelente ferramenta para organizar afazeres.

Calendário que fiz no Excel

Lista de afazeres

Lista do site Toodledo

7 – Faça uma lista com tudo (absolutamente tudo) o que vai usar, precisar para realizar a festa. Desde as forminhas de brigadeiro, passando pela cola quente e a branca até a tesoura. Assim, você não começa a fazer algo e percebe que não tem aquele item que precisa para terminar a decoração.

8 – Comece e procure se adiantar ao calendário. O quanto você tiver pronto antes, menos trabalho você deixa para o dia (enlouquecedor). Beijinhos e brigadeiros podem ser congelados antes, você tira no dia e fica per-fei-to. (Fiz no meu casamento e deu muito certo). Biscoitos de mel tem validade até três meses se bem embalados e guardados. Parece que também dá para congelar cupcakes.

9 – Se houver algum item que você gostaria muito, mas não tem como fazer, os sites Elo7 e Tanlup podem te ajudar. Lá, você encontra gente que faz artesanato e que aceita encomendas. Não sei dizer quanto é, se realmente vale a pena. Tenho mais de uma amiga que já comprou por lá e adorou.

10 – Só para deixar um número redondo! Ha! Divirta-se! É enlouquecedor, mas muito satisfatório! Depois, pretendo colocar algumas fotos de como ficou a minha festa…