Festa de aniversário: Piquenique da Chapeuzinho Vermelho

Quem me acompanha há algum tempo, sabe que eu gosto de festas de aniversário feitas em casa, com tudo simples e divertido para as crianças, aqui tem uma festa de pirata e aqui, uma de Balão de Arco-íris. Também sabe que sou um pouco exagerada ou controladora demais e gosto de preparar cada detalhe da festa.

Esse ano, resolvi fazer algo diferente no aniversário de 2 anos de minha pequena: um piquenique! Primeiro, porque fui uma vez a um parque e fiquei encantada com um pessoal fazendo uma festa por lá; segundo, porque estávamos de mudança e na semana seguinte, viajaríamos, então, quanto mais simples e mais prático, melhor.

Sinceramente? Foi a melhor festa que já fiz… foi muito, muito legal! Dá trabalho? Dá, principalmente para deslocar todas as coisas até o lugar do piquenique. Você não tem a vantagem do buffet ou dos garçons para servir as pessoas. Mas, sinceramente, é tão mais livre, mais informal, menos consumista, muito mais barata e bem mais alegre… as crianças brincando, correndo, todos comendo à vontade em cima daquela toalha xadrez… Foi a festa em que eu mais relaxei e pude curtir com os pequenos – porque, em todas as outras, eu ficava preocupada em servir as pessoas, em ver se havia suco na jarra, cerveja gelada, comida nos pratos, sem conseguir sentar.

Infelizmente, a maioria do pessoal da sala da minha pequena não foi. Como também era a festa de despedida da nossa família, pudemos contar com amigos muito especiais (mas sobrou muita, mas muita comida, porque vários tinham garantido que iam).

Escolhemos um parque em que a área para piquenique ficava ao lado do parquinho – o que facilitou muito, assim não precisávamos ficar nos deslocando no parque para ver os pequenos brincando. Marcamos para as 10 horas da manhã, um horário que, eu sei, pode ser difícil para as crianças dessa idade, mas que imaginei poder ser um “brunch”, mais cedo seria cruel, mais tarde não teríamos muito tempo, porque o parque fecha às 17h.

Outra coisa que gostei é que não teve bebida alcoólica, pois seu consumo é proibido nesse parque. Tudo bem, todas as nossas festas anteriores tinham (a meu contragosto), mas é que acho que festa de criança é para elas e não para os adultos. A cerveja, além de encarecer muito, parece fazer com que os adultos se divirtam em função da bebida e não da festa – ou das crianças – em si. Sei lá…

Tá bom. Chega de blá, blá, blá e vamos às fotchinhas…

Convites

Fiz os convitinhos com papel de scrap. Passei dias bolando, tendo ideias, montei todos. Terminei. Olhei e perguntei: “Gentemmm, cadê a Chapeuzinho?”. Ela foi pra dentro do convite, oras! Surpresa! 😉

Meu filho ajudou a fazer os convites da sala dele: recortou menininhas, colou as florzinhas, colou adesivos… e as crianças adoraram a ideia (do Cauê) da cesta abrir e ter um docinho dentro!

Os convitinhos

Bolo

Não existe “mesa do bolo” em um piquenique, né?, mas improvisei algo do tipo em uma das mesinhas do lugar. Para o bolo, usei a receita do ano passado de chocolate – que não tem como errar – e cobri com a pasta americana. Mas preciso confessar algo: não sei trabalhar com pasta americana. Esta, foi minha segunda erro tentativa. Meu plano era trançar o branco com verde para imitar uma toalha de piquenique. A realidade: quando terminei de fazer a bela toalha e fui colocá-la em cima do bolo, tudo se desmanchou e ficou horrível. Fiquei irritada, amassei tudo junto e transformei na grama do piquenique. Ó, senhor, como esconder esse bolo horroroso? Ah, Sofia, (disse eu para eu mesma) pega aquela sobra de tecido xadrez, faz um mini-bolo e coloca a boneca da Chapeuzinho em cima! Voilà!

 

Decoração do bolo e da mesa do bolo

Chapeuzinho Vermelho

Como a Catarina a-ma a Chapeuzinho Vermelho – e foi por isso que escolhemos esse tema – pensei que ela gostaria de uma fantasia. Costurei uma capa e uma saia especialmente para ela. Ficaram lindas, modéstia à parte; mas, como filho é um ser que serve para contrariar a mãe, ela não pôs a capa e ficou pouco tempo com a saia…

 

Roupinha da Chapeuzinho.

Cestinhas

Para entregar para as crianças, quis fazer uma cestinha que misturasse a ideia do piquenique com a Chapeuzinho, então, fiz uma cesta cheia de doces da vovozinha, com pé-de-moleque, bananinha, paçoca e coisas assim. Amei fazer as cestas!!! Foi o meu Peter Pan que as distribuiu na festa (vocês viram que esse piquenique estava cheio de personagens, né?).

 

Meu Peter Pan entregando as cestinhas que a Chapeuzinho levou para a vovózinha…

 

Lembrancinhas

Eu tentei fazer pequenos rostinho de chapeuzinho para entregar de lembrancinha, mas não deu tempo de eu terminar tudo, já que, como contei, eu estava preparando a mudança também!!!

 

As lembrancinhas que não foram… 😦

 

Mais cenas do piquenique!

Todo o ambiente do piquenique.

As brincadeiras

O momento do parabéns!

 

Espero que tenham gostado da festa tanto quanto nós!!! Se precisarem de qualquer dica ou ajuda, me escrevam.

Festa de Aniversário

Adoro festas de aniversário. Celebrar a vida, a alegria, reunir os amigos, ser feliz.

Desde que meu filho mais velho nasceu, dentro das nossas possibilidades, investi o quanto pude nas festas do pequeno.

Amigos do Ursinho Pooh e nariz de palhaço para todos os convidados

Festa do Mickey, personagem favorito do pequeno

Os Incríveis - com direito a máscara de super herói para todos os convidados

Só para mostrar como a pessoa incorpora...

Meu filho estuda em uma escola Waldorf – não me lembro se já disse isso aqui. É uma escola muito legal, muito diferente, que segue a Antroposofia e preocupa-se muito mais com a formação do homem como um todo do que de alguém que vai – somente – prestar vestibular e ser mais uma máquina. Eu estudei 2 anos e meio lá, meus primos e amigos, a vida inteira. Bom, certo. Achei uma boa explicação resumida do que é aqui.

Duas vezes por ano, eles fazem um evento chamado “Portões Abertos”, procurando mostrar para os pais e para a comunidade como é a rotina e a estrutura da escola. Dentre as várias atividades propostas no dia, uma delas é a de você escolher uma aula que as crianças têm e assisti-la. Escolhi “Vivências de Jardim da Infância” e fui, feliz da vida, brincar na salinha do meu filho (as crianças não participam).

A professora avisou que faria – e nos trataria – como se fôssemos as crianças em um dia muito especial: o dia do aniversário de um deles. Eu já sabia que a festa não era comum: nada de salgadinhos, presentes, lembrancinhas ou trenzinhos. Mas não tinha ideia do quão lindo e emocionante podia ser algo tão simples. Logo que a criança chega, ela é coroada príncipe ou princesa. Em seguida, há uma roda em que cada uma das outras crianças representa uma parte do céu e o aniversariante vai passando por elas pedindo, como se fosse uma estrelinha, autorização para descer na Terra. Coroado e celebrado como estrelinha que escolheu nascer, as atividades continuam: prepara-se na sala um bolo bem simples, colhem-se flores para enfeitar a mesa, estoura-se pipoca, faz-se o suco. As crianças sentam-se ao redor do aniversariante e cantam parabéns. Simples assim, mas de uma intensidade, uma alegria e celebração por esse espírito divino ter escolhido nossa companhia para vir até aqui!!!

Essa história toda coincidiu esse ano com outros fatores: dinheiro, bebê pequeno e muita falta de tempo. Eu tinha decidido que faria algo simples, sem grandes personagens, com tema de cores, bem modesto e alegre.

No dia do aniversário, decidimos que iríamos coroá-lo como lá na escola já havia acontecido: ele teria nosso dia de príncipe, com direito a capa e coroa. Se vocês pudessem ver a alegria dele, muito feliz com aquela coroa… Tentamos transmitir o quanto somos gratos por sua presença e acho que ele sentiu.

Dia de príncipe

Depois de um almoço bem gostoso com os avós, decidimos que não iríamos fazer mais festa. Seria somente um bolinho com a família e um parabéns animado na semana seguinte. Ele adorou, porque sabia que ajudaria a fazer bolo e docinhos.

Hoje, uma semana depois, comemoramos com o bolinho. O resultado é que ele ficou tão feliz!!!

Apesar da culpa que me acomete por ter feito tão pouco, ver meu pequeno tão feliz (já que ainda não me cobra por festas grandes), me deixou mais feliz ainda!!!!

Bolo feito por mamãe e filhote