Como escolho a escola dos meus filhos

Outro dia, conversando com uma amiga que vai pôr sua filha na escola, ela me disse que, quando visitou as escolas, não tinha parado pra pensar em nada daquilo que eu lhe falava e que queria visitá-las de novo. Desde a conversa, estou querendo escrever este post.

Talvez por ter dado aula por algum bom tempo, talvez por educação ser uma das minhas paixões de estudo, talvez por eu ser neurótica mesmo, quando vou procurar uma escola, sou muito, mas muito exigente mesmo. Então resolvi fazer uma lista de tudo o que considero ao procurar uma escola.

Filosofia da escola. Esta é a primeira coisa que observo. Qual é a linha que a escola segue? Os valores, as crenças, as rotinas são as mesmas (ou muito parecidas) com o que eu vivo em casa? Quando digo filosofia não me refiro somente aos construtivistas, logosóficos e outros. Refiro-me também à comida, às músicas, à questão da disciplina.

Alimentação. Na escola, há uma nutricionista? O cardápio é disponibilizado para os pais? O que as crianças comem? Qual é o lanchinho mais servido? Existe oferta de biscoitos recheados, biscoitos de chocolate, refrigerante, muitos pães e bolachas ou as frutas e os legumes são os que mais aparecem? Quando tem uma festinha na escola, alguém leva refrigerante? (Porque, se seu filho não tomou em casa e houver na escola, certamente lá, alguém vai dar)

Professores. Quantas professoras há por turma? Qual é a rotatividade? Há muita troca? Os professores parecem animados ou cansados? A escola aparenta pagar bem os mestres? Penso isso por dois motivos: primeiro, escola que há muita troca de professores é sinal de que não paga bem ou não há um ambiente em que se trabalha bem, as crianças sentem muito as mudanças de professores; segundo, se os professores são mal pagos, como poderão oferecer uma educação de qualidade para meus filhos? Se eles estão felizes e motivados, meus filhos também estarão.

Músicas. Sou muito exigente quanto a isso. Que tipo de música as crianças escutam? São as mesmas que você coloca em casa? São aquelas que você aprova? Parece bobo, mas alguns pais (como eu) sofrem muito com o repertório musical. Já disse no blog que não gosto das músicas da Xuxa. Então, na escola, não quero que eles as escutem. Não tenho nada contra escola que tem e nem contra quem gosta.

Momentos de relaxamento. Geralmente, no final do período, muitas escolas passam vídeos para as crianças. Para alguns pais, isso é tranquilo. Para outros, não. A seleção de filmes está relacionada ao conteúdo trabalhado em sala de aula? Quem decide que filmes serão passados?

Berçário. As crianças do berçário ficam junto com as maiores? Existe um banheiro, um refeitório, um playground e um quartinho de dormir somente para elas? Quantas professoras tomam conta dos bebês? Como é feita a introdução dos alimentos?

Abertura da escola. Na cidade onde eu morava, algumas escolas não permitiam que as mães entrassem se chegavam em um horário diferente da entrada/saída ou sem hora marcada. Acho isso um absurdo. Acho que os pais devem ter liberdade para entrar e sair, para verem como seus filhos estão sendo cuidados etc. Se os pais exageram – porque alguns exageram mesmo – é só uma questão a ser conversada.

Atividades do período. Você acha que seu filho deve fazer o máximo de atividades possíveis, ou já começar a ser ensinado para os vestibulares, ou acha que ele só precisa brincar? Cada escola possui um modo de lidar com isso. Algumas têm apostilas e aulas até para os pequenos, outras começam a alfabetizar somente no primeiro ano. Mesmo que seu filho seja um bebê, vale a pena perguntar quais são as atividades oferecidas a cada idade. Porque, pensa só, se você não quer vê-lo cheio de lição de casa antes dos 6, ou se você quer vê-lo falando inglês fluentemente o quanto antes, algumas dessas perguntas poderão direcioná-la para uma escola que atenda às suas expectativas.

Preço. É bem lógico que, se eu pudesse pagar, colocaria meus pequenos na escola que acredito ser melhor – e, muitas vezes, a mais cara. Não sendo possível, tento fazer a conta daquilo que posso pagar versus o que a escola oferece. Honestamente, já escolhi pagar um pouco mais para oferecer o melhor. Nem sempre isso é possível, como no meu atual momento. Então, mesmo que seja mais em conta, tem que ser a que segue aquilo que acredito.

Dizia o pai de uma amiga que mesmo que ele deixasse muito dinheiro, muitos imóveis, muitas coisas materiais, quando ele morresse, nada ficaria – a única herança que os pais realmente deixam para os filhos é a educação.

E você? Quais são os critérios que você usa ao escolher a escola? Acha que eu exagerei? Concorda com algum ponto?

Anúncios

12 pensamentos sobre “Como escolho a escola dos meus filhos

  1. Bom, eu acho que você ponderou todos os pontos, certos. Concordo com você em todos eles e não acho exagero porque como disse, concordo. Concordo na questão do cardápio, mas ainda é preciso ver se realmente é assim, porque muitas escolas colocam no papel uma coisa e na prática é bem diferente, o memso vale pra filosofia, etc.

    Escolher muito bem e ainda vigiar as práticas pedagógicas e a alimentação, e também porque não a higiene da escola.
    Hoje estou em casa com meu filho, mas quando ele voltar pra escola… vixiii… vai ser dificil escolher uma viu.. hehhe

    Beijinhos
    Karin
    http://www.mamaeecia.com.br
    #amigacomenta

  2. Não exagerou, achei muito bacana, super interessante e com informações fundamentais que devem ser levadas em consideração ao escolhermos a escola dos nossos filhotes, principalmente para as mamães de primeira viagem como eu! A educação é a base de tudo, vem de casa, de berço, e uma boa escola completa esse pacote, o qual nossos pequenos levarão para o resto de suas vidas! Parabéns pelo texto e pelo blog, adorei!

  3. Eu acho q é bem por aí. A escolha tem que combinar com a vida que você leva em casa, porque educação – seja na escola ou em família – tem que ser coerente. Às vezes o que percebo que é mães têm medo de se expor e impor seus limites e anseios quanto aos filhos, pra não parecerem chatas. Mas eu acho justamente o contrário: prefiro ser a chata que procura, sim, proporcionar uma educação bacana, de acordo com a visão de mundo que acredito.
    Todos os pontos levantados são bem pertinentes.
    bj
    Carol
    http://www.ninaensina.com.br
    #amigacomenta

  4. Oieee,

    Olha, acho q então faço parte da turma das neuróticas pq eu tb sou muuuuito criteriosa e estou sofrendo com a escola que escolhi, por algumas coisas pequenas que outras pessoas dizem não ter importancia mas, pra mim tem!
    Acho q além das crianças, as mães tem que ter total segurança na escola, pq isso passa para as crianças, né?

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae

  5. Pingback: Da dificuldade de encontrar uma escola | Buteco Feminino - Mesa para Conversa de Mulher

Só é um Buteco se tiver conversa! Vem, deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s