O cabelo, a vaidade e o Formol

Tudo bem, todo mundo sabe que o formol da escova progressiva pode ser um problema. Mas toda mulher que tem cabelos indomáveis sabe que outras escovas não fazem o mesmo efeito. Meu cabelo não é enrolado. Por sinal, ele é relativamente liso. Mas tem a frente, tem aqueles cabelinhos “bebês” que sobem, ficam ouriçados como  raios de sol em desenhos de criança. E isso acaba com a minha (pouca) vaidade.

Então que eu nunca fiz muitas escovas na minha vida. Devo ter feito umas duas progressivas e uma três “inteligentes” e eu estava cansada dos meus bonitos fazendo “ola” na minha testa todos os dias… E aí que eu resolvi que ia fazer uma progressiva e fodam-se todos os problemas que já li e vi com o formol. E fui, linda, feliz em um salão acessível ao meu bolso e muito recomendado.

Durante as duas horas e meia que estive lá, não me senti muito bem, mas sabia que era por causa do produto. Quando voltei para casa, comecei a sentir os efeitos de forma mais intensa: falta de ar, tremedeira, taquicardia, mãos gélidas. Como sou uma pessoa normal, not, subiu aquele desespero: hospedada na casa da minha irmã, sem maridon por perto, com a sister trabalhando e três crianças a todo vapor, o que eu ia fazer? Liguei para várias pessoas para saber se era normal. Comecei a entrar em pânico, até que a super-liga das amigas, tanto por telefone, quanto pessoalmente, entrou em ação. Uma amiga me acalmava por telefone, outra veio nos buscar, outra olhou a galerinha e fomos – eu e uma amiga – para o hospital.

A minha questão – e a de todos com quem conversei e me conhecem – era: até que ponto o que eu sentia era devido à inalação do formol ou era devido à síndrome do pânico. Quanto mais eu pensava, mais nervosa ficava – porque seria injusto demais dar tanto trabalho a tanta gente por causa de uma crise de pânico.

Logo que cheguei ao hospital, informei que era intoxicação por formol e fui rapidamente atendida. O que descobri? Não era uma crise de pânico, era intoxicação mesmo e a melhor coisa que tinha feito era ter procurado ajuda médica, pois poderia piorar ao longo da noite. É lógico que o desespero não faz parte da intoxicação, mas a preocupação era genuína…

Saindo de lá, devidamente medicada e dopada, fiquei pensando no custo que pagamos pela nossa vaidade. Quantas pessoas não passam mal, algumas chegando a óbito, por causa da vaidade? Seja em função da progressiva, ou de uma lipo, ou de uma plástica e outros tantos milagres prometidos pela indústria da beleza?

Por que eu não posso aceitar meus indomáveis cabelinhos? Por que as pessoas precisam julgar minha aparência, ou até mesmo quem sou, por não ter o cabelo considerado mais bonito? Será mesmo que a gente precisa se maltratar tanto para alcançar níveis de beleza absurdos (não que eu tenha sequer me aproximado deles, mesmo com meus lisos cabelos)? A gente condena fumantes, alcoólatras, viciados em drogas, obesos, compulsivos de todas as formas. E a vaidade? Será que quem se propõe a todo tipo de intervenção, correndo o risco de morte, não poderia ser colocado no mesmo hall? E eu não estou me excluindo não, amigos, porque sou fumante e fiz a progressiva.

Na verdade, por que não podemos aceitar quem somos do jeito que somos? (não tenho a resposta, tá, se alguém a tiver, por favor, escreva!)

6 pensamentos sobre “O cabelo, a vaidade e o Formol

  1. oi sofia, de facto o seu relato é um pouco assustador para quem pretende alisar o cabelo (não é o meu caso) e ainda bem que decidiu partilhar connosco! mas concordo que somos reféns da beleza, escravas muitas vezes. São os quilos a mais, a pele que é muito branca, o cabelo que depois de ser mãe muda tanto que já nem nos sentimos a mesma (esses são os meus problemitas eheh) e sempre queremos melhorar. Esquecemos que as deusas da TV e das revistas são massacradas diariamente e que. ao perto, têm tantos “defeitos” como nós, mulheres trabalhadoras, mães e esposas. Somos demasiado picuínhas com nós mesmas e temos de parar com isso! Claro que os meus quilos a mais são também uma questão de saúde e bem estar físico, por isso vou continuar lutando por perdê-los, mas o tom de pele e o cabelo, estou fazendo as pazes com eles para que não me aborreçam mais:)
    Aqui em Portugal estamos vivendo uma crise política e económica muito grande o que dificulta o processo de “beleza” e também por isso há cada vez mais pessoas deprimidas. É uma pena que a sociedade nos leve a entrar em depressão por causa de não ter dinheiro para ir ao cabeleieiro, quando há outras coisas mais importantes. Mas é como dizes: é um vício como outro qualquer e eu não vejo os fumadores aqui a deixarem de fumar porque não têm o dinheiro que tinham antes… preferem deixar de comer, mas continuam a fumar.
    Bom fim de semana e feliz dia da Criança! (aqui em portugal hoje é o dia da Criança, muita festa e brincadeira por todo o lado!)

  2. Olha, Sofia, talvez não seja a melhor pessoa para opinar ou comentar, pois nunca tive essa vaidade que você fala. Sempre fui magrela. Já me senti mal por isso, depois passou. Às vezes volta, e depois passa de novo. Tenho sempre em mente que o que realmente preciso é estar saudável e me sentir feliz, nessa ordem. E isso funciona tão bem que quando me vejo em fotos ou quando alguém me mostra uma mulher que se parece comigo, nem acredito e é aí que “enxergo” como sou magrinha! Porque quando me olho no espelho, não me vejo assim tão magra. Pelo menos, não na grande maioria das vezes. Então, creio que me vejo da mesma forma como me sinto.

  3. Sofia, excelente reflexão. Tenho reparado que, cada vez mais, as brasileiras têm todas o mesmo cabelo, o mesmo sorriso padrão, os mesmos peitos e a mesma bolsa. Independente da classe social.

    Interessante o primeiro comentário, da Marília de Portugal, dizendo que a crise econômica abalou o processo de beleza por lá. Aqui não há crise que abale a beleza. Isso é uma característica positiva e negativa ao mesmo tempo. Podemos estar na merda, mas as luzes têm que ser retocadas!

    Tentando refletir com você acerca de sua pergunta, acho que a possibilidade de estar dentro do padrão nos seduz, traz segurança e dá a sensação de pertencimento a um grupo. Por isso todos esses esforços para se encaixar nas imagens que nos vendem, nos corpos impossíveis, nos cabelos impecáveis, nas bolsas que custam três mensalidades escolares. Me parece, também, que essa é, sobretudo, uma questão cultural muito forte aqui no nosso país. Nos aceitar do jeito que somos é entendido como relaxo, descaso consigo mesma.

    Te conto meu pequeno grande dilema: raramente pinto as unhas. Eu cozinho, lavo louça e roupa, dou banho em criança e quando vou à manicure, o esmalte dura no máximo 2 dias. Penso: pra que gastar 20 reais numa coisa que daqui a 5 dias vai estar do mesmo jeito? Mas, confesso, tenho vergonha das minhas cutículas subindo pelas unhas. Dilema.

    Beijos

  4. Bem, não sou das mais vaidosas, como tuuuudo que quero sem medo de engordar, não faço progressiva nem que me paguem, meu cabelo é virgem, nem pintar eu pinto… tenho os cuidados básicos,rsrsrsrs, pra ficar limpinha, o que mais me atrai são os esmaltes, mas mesmo assim nada que me escravize. Não penso em fazer plásticas, pois tenho muuuuuuito medo de enfrentar uma cirurgia só pela vaidade… Acho que a sua abordagem está certa, tudo que é em exagero deve ser trabalhado… Engraçado que essa semana, em uma das palestras da semana de saúde, o professor questionava as mulheres que vivem em função de uma progressiva, “será que elas não precisam de ajuda?”, porque preciso me encaixar e ser igual a todo mundo. Eu nunca gostei disso, sempre fui a diferente… sou a ET mesmo… Bjs e que bom que ficou tudo bem com vc, imagino a confusão na sua mente… Grande bj, flor!!!
    #amigacomenta

  5. Nossa que perigo hein garota?! O formol aquecido faz mal sim, pena que o cabelo fica lindo com progressiva de formol. E muitas das cabeleireiras utilizam do formol na quantidade que elas querem.Eu já fiz muitas vezes, mas desde que decidi engravidar nunca mais fiz, há dois anos tento domar a cabeleira com produtos (leave in, xampus, e etc de melhor qualidade). Temos que aceitar que o “cabelo não é europeu”! bjos.

  6. Vixe, vixe, que é isso, nunca ouvi falar de nada parecido…fiz uma vez escova progressiva com formol, há muitos anos, e na hora ardeu meu nariz e meus olhos (APESAR de a cabelereira ter me dado uma toalhona gigante pra esconder o rosto, hein!), e o cheiro ficou ruim por vários dias, mas não me deu nada remotamente similar ao que você descreveu…

    Agora, há 2 meses, me convenceram a fazer progressiva de novo, mas só porque a mulher me jurou de pé junto que não tinha formol algum, que é um tipo de escova nova e tudo o mais…na verdade, eu era a segunda pessoa em que ela usou o tal produto. Foi bizarro porque ela passou e não só não era desagradável, como era até cheiroso o treco! Mais bizarro ainda porque ela passou, deixou agir durante, sei lá, 40 minutos, semi-lavou (tinha que tirar 60% do produto), secou e passou chapinha…o cabelo estava lindíssimo! Pois qual não é a minha surpresa ao ver que o processo todo não tinha acabado…me levaram, como aquele cabelo maravilhoso e chapeadinho pro lavatório DE NOVO e tacaram água…deu dó!!! Passaram um outro produto, deixaram agir uns 5 minutos, enxaguaram e secaram, sem ter que fazer escova nem chapinha nem nada, ele ficou espetacular!

    Como eu disse, isso foi há 2 meses – e ainda está muito bom. Me disseram que dura 3 meses. Da próxima vez que voltar lá, vou perguntar o nome/marca do produto. Foi bem tranquilo o processo e eu nunca boto fé nessas coisas de química no cabelo…morro de medo de estragar, nunca coloco tralhas no cabelo, só faço quando o profissional me passa MUITA segurança, jura de pés juntos, me promete ressarcimento integral caso eu não goste, e depois de muuuuuitos meses insistindo comigo que devo tentar. Podem ver como ficou no meu outro blog: http://janusaureus.wordpress.com/2012/05/11/allez-les-bleus-forza-azzurri/

Só é um Buteco se tiver conversa! Vem, deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s