A sorte de ter uma irmã

Aos 2 anos

Quando, há 29 anos, minha irmã nasceu, eu não pensei assim. Para mim, 1a filha, 1a neta, 1a bisneta, 1a sobrinha, 1a tudo, aquela pequena chorona tinha vindo apenas para acabar com meu reinado e me afastar de minha mãe. Eu estava com 1 ano e 8 meses.

As duas com a vovó

Dizem que mordi minha mãe grávida. Dizem que, enquanto a loirinha era nenê, eu ajudava a cuidar dela como de uma boneca. Essa paz durou pouco.

Durante a infância, brincávamos muito, brigávamos mais ainda. Criou-se um ciclo: ela provocava, eu batia, eu apanhava, eu batia de novo. Mas éramos inseparáveis.

Pequenas com a prima

Ursinhos carinhosos, moranguinhos. A vez em que nossos pais saíram à noite e, não vendo onde estava a babá, eu lhe dei um danoninho e prometi que cuidaria dela porque eles não voltariam nunca mais (é, louca desde cedo).

Aos 8, 9, com a melhor amiga Dani

A casa da Barbie, a casa do poney, boneca com cabeça, boneca sem cabeça, clubinhos com presidente e secretária. Eu sempre queria os melhores e ela, mais nova, ficava com os piores.

Bets, seu braço quebrado, dança da Xuxa na calçada, amarelinha gigante na rua.

Turma da rua, primeiros beijos, brigas e mais brigas por meninos e namorados (vários erros meus, eu assumo).

Adolescência, rock, mundo hippie, mundo doido. Festas na ausência da mãe, casinha de construção pegando fogo, telhado, bebedeiras, Léo, Harley, teatro, amigas, amigos, avenida, praça, calçada de casa.

Moças, já na faculdade, com a mamãe na foto

Quando entrei na faculdade, fui morar com minha mãe e ela, com meu pai. Pela primeira vez, estávamos separadas. Pela primeira vez, nos dávamos bem.

Faculdades, loucuras, formaturas, acidente na família. Superação, Tailândia, vida adulta.

Aos 24 anos, ela me liga: “A, ha, ha, vou ser mãe antes de você!”

E lá fomos nós ver esta pequena tornar-se mãe, adulta, mais paulistana.

As coisas pesaram para mim, voltei para a cidade de meu pai. As coisas pesaram para ela, que também voltou para cá.

Ela, mãe, eu, mãe.

Depois de 10 anos morando em cidades diferentes, voltamos a estar perto. E nos aproximamos mais. E nos apegamos mais ainda. Ela mãe, eu mãe.

Nas nossas imensas diferenças, uma sendo o oposto da outra, passamos a ser companheiras, mais amigas. Paramos de brigas, escutamos, aprendemos, admiramos uma a outra.

Agora, eu me vou. Vou morar longe de novo. Justo agora quando sei que precisamos muito uma da outra.

Sim, vou morrer de saudades das amigas, da família, dos pais. Mas não há nome que dê conta do buraco que vai ficar por estar longe da minha irmã.

Hoje é seu aniversário. Parabéns, Bi. Você é uma mulher incrível, corajosa, forte, correta, inteligente. Você merce anos de vida, reconhecimento de todos, (retorno financeiro), muita luz, muita paz.

Queria estar perto de você o tempo todo. Eu te admiro e te amo demais e não há um dia em que eu não pense na sorte que tive ao te ganhar como irmã. E quando mudar, não haverá um dia em que não sentirei saudades. Obrigada, linda, por tudo o que é e representa na minha vida. Eu seria muito menos se você não existisse. Obrigada por nascer há 29 anos.

Parceiras

Anúncios

13 pensamentos sobre “A sorte de ter uma irmã

  1. sniff…sniff…sniff…snifff….
    Adoro fazer parte dessa história!!!!
    Amo vcs… (adorei a foto da primeira comunhão..rsrsrs meu irmão novinho tbm..rsrs)
    Feliz niver Bia..

  2. Que coisa mais linda, Sô!

    Não existe amor como o de irmão, realmente…

    Que sorte vc poder experimentar isso! Logo logo serão o Cauê e a Nina…

    Bjos, amiga! Parabéns e tudo de bom, Bia!

  3. Nossa, emocionante! Também tenho uma irmã muito querida que mora em outra cidade e nos vemos com pouca frequência…queria ver muito mais!
    Mas sempre repito pra ela “longe dos olhos, mas perto do coração” e isso é que importa!!

    Beijão.

  4. Me emocionei lendo seu post. Chorei só de imaginar morar longe da minha irmã/amiga/confidente.

    Ter irmãos é tudo de bom! Por isso decidimos ter mais um filho. E por mim ia para o terceiro. Marido que me segura, se não…

    Bjs!

    • Nós também decidimos ter mais um por causa disso. E eu também queria mais filhos. Brinco com meu marido que o mais velho precisa de um irmão e a mais nova, de uma irmã!
      Beijos

  5. Que lindo relato Sofia…Minhas irmãs moram nos EUA há mais de dez anos…Sinto tanta falta, passei tantos momentos sem elas por perto e desejando tanto tê-las por perto… Curta sua irmã todos os dias da sua vida…Porque saudades dói muito! Parabéns pela irmã sortuda! Tenho certeza de que você é uma irmã fenomenal…Beijos para vocês duas!

  6. Sô, que post mais lindo! foi uma coisa meio madeleine proustiana: de repente, você e toda a família, a casa, o clima voltaram a se fazer presentes pra mim. Fico feliz em saber de você, da Bia, das crianças, crescidas/crescendo… Beijo grande!

Só é um Buteco se tiver conversa! Vem, deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s