Controlar o incontrolável

O ser humano gosta de ter controle sobre tudo. Tá, alguns mais, outros, menos. Será que dá para adivinhar em qual categoria eu me encaixo? Sim, é, sou muito controladora. Acho que todo mundo já deve ter pensado porque as coisas saem tão diferentes do que havíamos planejado ou porque as pessoas se comportam de um modo bem distante do que gostaríamos.

Eu demorei muito para aprender que, nesta vida, são poucas as coisas que podemos controlar. Pouquíssimas. Comecei a aprender isso quando me casei e engravidei. Maridos e filhos: achamos que os controlamos, mas eles só são educados (às vezes, né?).  Saúde mental: impossível prever um surto. Saúde física: quantas vezes as coisas aparecem na gente sem ninguém ter chamado?

Tudo bem, tudo certo. Nem quero falar de marido, nem de filho, nem de saúde isso ou aquilo. Quero falar de algo realmente incontrolável. Na verdade, algo que me descontrola completamente (eu e boa parte da torcida feminina de qualquer time do mundo): os infelizes HORMÔNIOS.

Nós já os conhecemos cedo, com adolescência e TPM. Os namorados e maridos acham que sabem o que é isso depois de alguns anos de convivência. Eu sei que nem todas as mulheres passam por essas variações. Eu mesma não posso dizer que tenho/tive TPMs horríveis.

Depois de observar os belos tracinhos rosas, depois de espalhar a alegria com a notícia de um novo bebê, vem o que ninguém lembra: os hormônios. Deus do Céu, como é que a gente faz para se controlar?

É muito choro, muita irritação, muitos defeitos, muitos problemas, muito lindo, muito feio, muito, muito… tudo muito maior do que deveria ser.

Estou tão irritada que chego a ficar furiosa com os próprios hormônios.

Meu marido, coitado, este fim de semana passou pela situação mais absurda do mundo por causa desta minha alteração de humor/hormônios a mil.  Eu briguei tão feio com ele que pensei em colocá-lo para fora. Motivo? Nada não. Achei que as mensagens que ele mandou para mim no meu celular seriam para outra mulher e ele as teria mandado por engano.

Agora, amigas, imaginem a cara do querido quando eu expliquei porque estava brava? Como já fazia alguns dias que eu estava atacando-o, ele ficou muito bravo. Não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Muita discussão, choradeira, abraços depois, percebi o quanto estava sendo tomada pelos hormônios. Como assim? Não perceber uma demonstração de carinho? Só porque estou com a auto-estima lá embaixo (ainda vou escrever sobre isso).

Será que existe algo, além de ioga e meditação, que possa nos ajudar a controlar essa fúria incontrolável? Como? Estou tentando manter a consciência, manter a a cabeça firme, mas a hora que vejo, já estou chorando, brigando, reclamando. Na gravidez do Cauê não foi assim, não… Acho que fiquei brava, mas não enfurecida com o mundo.

P.S.: Que é que vc tá olhando tanto, hein? Hein? Nunca ficou de TPM não, hein? Hein?

P.S.2: Desculpe-me, sabe como é, a gravidez, este processo…. buáááááááááááá Me desculpa, eu não queria chatear você, minha leitora amiga… buáááááááá

P.S.3: Desculpa, amor Igor e amiga Mara, gatona, pelo trabalho dado no final de semana. Vocês são demais!!! Obrigada pela paciência!!! buááááááááááá

10 pensamentos sobre “Controlar o incontrolável

  1. Na gravidez também fiquei assim… Quando via já estava brigando, gritando, p*** e nem sabia o porque da discussão!
    O namorado perguntava “Kah, me diz porque você está brigando comigo?”, e eu ficava sem resposta. Há! Mas passa, eu acho.
    Beijão!

  2. Nossa, lembrei muito dos meus destemperos da gravidez! Ui, nem me fale. Tambem sou muito controladora, um defeito pessimo ne? Mas enfim, sou assim. Coitados dos que estavam por perto. Que bom que todos sobreviveram! Uma amiga minha ja brigou com o marido (ou namorado) pelo mesmo motivo que vc! Acontece!!!

    Fica susse!

    beijos

    Pati

    http://coisasdemae.wordpress.com

  3. E depois ela não sabe porque o pai e a mãe viajam tanto …. ha ha ha ha … brincadeira, Sô, brincadeira … calma … quieta, respira … respira …. Não sei a quem ela puxou!!! beijocas, que depois da menopausa melhora (dizem …)

  4. Hahahaha, a sofia já é chorona por natureza, dê a ela ainda a desculpa de que pode chorar e querer controlar os outros!!!

    É flor, vamos com calma!!!!
    O problema é essa história do “direito” de estar assim na gravidez, eu mesma acho que usei isso milhares de vezes, no meu caso, quando estava grávida, fiquei ainda mais de mal humor, ou muito carinhosa, o que me irritava, mudamos um pouco, mudamos muito, o bom é que passa!!!

    beijocas

  5. Meu Deus!!! passou um filme na minha cabeça agora!! Lembrei cada detalhe da minha gravidez!!!rsrs Realmente esses hormônios são incontroláveis!!!!!! Um absurdo!! E creio que mais dificil do que ser dominada por essas variações hormonais…é quem tá de fora conseguir compreender, aceitar eapoiar..rs imagina a situação para quem tá de fora?!?!? Tmbém não é facil não! Mas nós mulheres temos a força, a garra de passar por tudo isso e ainda sobreviver!!!rs
    Muito bom esse post!!!

  6. Que doideraaaa, tinha esquecido como era…ufaa.. passou..mas vem mais…e… te amo mesmo assim!!

    Obs; Posso dizer isso em blog feminino???rsrsr

    Bjo

  7. Ai ai hormônios…
    Você me fez lembrar de um poema da Cecilia Meireles…

    Lua Adversa
    Tenho fases, como a lua
    Fases de andar escondida,
    fases de vir para a rua…
    Perdição da minha vida!
    Perdição da vida minha!
    Tenho fases de ser tua,
    tenho outras de ser sozinha.

    Fases que vão e vêm,
    no secreto calendário
    que um astrólogo arbitrário
    inventou para meu uso.

    E roda a melancolia
    seu interminável fuso!
    Não me encontro com ninguém
    (tenho fases como a lua…)
    No dia de alguém ser meu
    não é dia de eu ser sua…
    E, quando chega esse dia,
    o outro desapareceu…

    É só uma fase, ainda bem!
    Ainda bem que passa!!!
    rs rs rs
    bjo
    Adriana

  8. Nooossaaaaa!Na gradvidez eu chorava muitoooo,mas jásou chorona…Difícil tem sido aturar minha TPM,sobra p/todo mundo,uma loucura, um fio de cabelo no chão é já é motivo de gritaria,e “vcs não tem pena de mim”, “uma hora eu sumo”, “quando vcs vão me ouvir”entre outras frases de efeito…Minha filha fala p/ o pai: “São aquelas tres letrinhas,pai…”, tem meses q estou triste de chorar com comercial de margarina…enfim não deixam de ser os benditos hormônios que nos regem e controlam…se melhora não sei,espero q sim…Bjs!!!1

Só é um Buteco se tiver conversa! Vem, deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s